quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

1 DIA, TODOS OS DIAS DE UM ANO...


Percebi que dividimos o ano em quatro etapas:

- FINAL - onde o ano seguinte começa (rs)... este período começa junto com o mês de dezembro - risos;
- COMEÇO - do ano novo, onde ficamos num estado de êxtase, bem diferente dos dias "normais" (rs)... parece que estamos vivendo um clima de curtição do que sonhamos... ah, na verdade, é a fase de sonharmos e planejarmos;
- CARNAVAL - semana de "liberar" geral (rsrsrsrs)... para quem ainda curte, claro. Para quem já não vê mais graça, como eu, aproveita para viajar geral - rsrsrsrs;
- TODO O ANO - dia compreendidos entre o pós-carnaval e início de dezembro (rsrsrsrs). Ah, nesse período, vivemos esperando os feriadões para ter tempo com tempo para curtir a família... e vivemos pensando em colocar em prática o que planejamos em janeiro... risos;

Mas, o que mais me chamou a atenção foi que todos os dias do ano que passa/está passando/quase no final se comprimem no último dia deste, já liberando-o e o aproveitando para "realizar" o que dá até zero hora deste - rs. No primeiro dia do ano que começa, somos capazes de viver toda a expectativa em um único dia!

Nesses dois dias (final e início juntos) a gente não sabe bem se está dando "adeus" ou dizendo "olá" e ficamos felizes sem saber a razão exata. Olha, se a gente conseguir respirar a alegria desses momentos, poderíamos descobrir que durante todo o ano podemos resgatar e liberar esse gás inebriante da felicidade.

Penso que isso é tornar eterno um instante. O instante de passagem do que é e está indo, para o que é, que está chegando... isso me faz enxergar uma coisa: tempo. Tempo que passa, estando. Sempre estamos, somos e, nesse mesmo instante, estamos deixando de ser, sendo e seremos o que somos.

Este ano eu estou sendo/fui/estou tocada por uma emoção gostosa e diferente... uma emoção que me diz: "sempre é tempo de ser melhor". SEMPRE É TEMPO. Todo tempo para aprendermos, rompermos, arriscarmos, sermos!

Em um dia, todo um ano que nos despedimos. Em um dia, toda a expectativa de todo um ano que começa. UM DIA! Um dia é o que precisamos para viver o presente e todo dia é um dia. Cada dia, pequenas vitórias, grandes mudanças somadas on FINAL e mais pequenas mudanças para serem somadas no COMEÇO e TODO O ANO, até o outro FINAL e COMEÇO e TODO O ANO... ciclo. Cabe a nós escolher viver CICLO VICIOSO ou CICLO VIRTUOSO.

Pois é, hoje é UM DIA, com todo o ano de despedida nele. Páre, por alguns instantes, ore e reflita. Vamos pedir a Ele, que é o único capaz de nos guiar e orientar, de nos iluminar, que nos toque; que toque nossos corações e pensamentos. Que nos dê força para empreender a mudança e nos capacite a enxergar que tudo pode ser diferente. Que ponha um banquete de esperança para nossa alma, que tanto deseja viver a plenitude do amor verdadeiro. Vamos pedir coisas boas. Vamos nos abrir para receber essas coisas boas, porque, sim, merecemos! Um amigo me ensinou, no início deste ano que se despede hoje, que precisamos acreditar que PODEMOS, MERECEMOS E CONSEGUIMOS. Vandilson, obrigada! Obrigada a cada pessoa que tive o prazer de conhecer este ano e nos anos anteriores. Obrigada a Vanda, a Noemia, a Geraldo, a Cris Magalhães, a muita gente boa e de coração livre e aberto. Pessoas exemplo que tive a honra de conhecer e que fazem parte de mim como exemplos vivos e reais de "possível". Sabe, POSSÍVEL, aquilo que a gente sempre acha impossível?!

Pois é, um 2009 de ótimas lembranças e balanço reflexivo positivo, mesmo que tenha "cortado um dobrado" para se manter... hoje é o FINAL, ou início de um ano passado. Amanhã? Quem sabe é Deus! O que irá me acontecer? Bom, não sei, mas, peço ao Pai que tenha força, coragem e determinaçaõ para colocar em prática os bons pensamentos de mudança, de possibilidade real de transformação!

2010, que Deus abençoe e ilumine cada ser humano! Que as portas da prosperidade e do progresso pessoal se abarm para cada um de nós. Que estejamos mais abertos e mais entregues ao propósito de em cada dia sermos melhores!

Vamos nos lembrar de DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESTE MUNDO!!! - incluindo cada um de nós, que, esquecemos de lembrar que somos filhos do Pai!
FELIZZZZZZZZ ANO NOVOOOOO!!!!


Vamos deixar 2009 em paz, assim como todos os anos anteriores... já deram o que tinham de dar. E vamos ver que nem todo FINAL trata-se de FIM... a gente sempre começa o ano seguinte por ele... risos.

Beijosssss e até ANO QUE VEM!!!

Pat Lins.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

2010

CLIQUE NA IMAGEM PARA LER:


VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESTE MUNDO!!!

Pat Lins.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

FELIZ NATAL

Meu maior desejo é que as pessoas no mundo se convençam e acreditem que nós somos o mundo!


A tal "sociedade" que tanto nos "fazemos" reféns e vítmas, somos nós.

Que a luz do Senhor Jesus, maior aniversariante do dia, entre em cada lar e renove os bons sentimentos, os bons pensamentos e que a gente se abra e receba como força para a prática de boas atitudes!


Um mundo melhor depende de cada um de nós!


VAMOS MANTER ACESA A CHAMA E DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESSE MUNDO!!!


UM NATAL DE PAZ, DE LUZ, DE REDESCOBERTA, DE CRESCIMENTO, DE ALEGRIAS, DE TRANSFORAMÇÕES EM NOSSAS VIDAS!!!

Pat Lins.

domingo, 20 de dezembro de 2009

CAÇANDO-TESOURO: MAPA PARA DEUS

Tenho me buscado como quem segue pistas de um mapa dividido. Para encontrar a próxima parte, sigo pelas partes conhecidas, como pistas de que ainda há muito a trilhar. Para alcançar o desconhecido, parto do que conheço. Quanto mais encontro, menos me encontro... existe muito de mim. Uma pista levando a outra.

Enquanto existem caça-tesouros, existo eu, caçadora de mim. Eu e Milton, né, o Nascimento - risos.

Quanto mais pistas encontro, mais constato que não há uma sala de tesouro, há um tesouro em cada descoberta.

Dentro de mim vários mundos, vários Universos, várias Galáxias... o infinito: Deus, o Criador.

Concluí então, que o caminho para Deus é o caminho da busca e do encontro de cada instante, de cada eterno instante. Cada instante traz um circuito fechado em si, no encontro.

Cada um de nós carrega em si a chave. Somos peças-chave para a comunhão, para encontrar o caminho para o Pai. Sozinhos, nunca chegaremos. Cada um que alcança sua plenitude, fica no aguardo - esse é meu jeito de ver e interpretar... esse é o caminho que eu enxergo - e esse aguardo leva aos que já chegaram ao ponto mais lato de si a ajudarem os outros na trilha, com seus exemplos, como referência de um ponto a chegar: nossos corações.

Temos um coração que bate. Uma mente ilimitada e infinita, mundos sem fronteiras, limitados pela nossa ignorância. Enquanto não enxrgarmos essa realidade, fadados ficamos a só caminhar e nada encontrar, porque não há busca. Cada mergulho em si, descoberta. Somando cada pequena descoberta, uma grande descoberta, um caminho tilhado e muitos outros a descobrir.

O mais impressionante é que vários mundos, vários universos, várias galáxias... o infinito é cada um de nós. Nós somado, juntos somos os mundos que compõem as galáxias e isso tudo em harmonia, chegamos a Deus. A soma de todas as criaturas, o Criador. Claro que Ele é muito mais que a soma de todos nós. Mas, nós estamos Nele e Ele em nós. Mergulhando fundo, encontramos nossa luz presa, libertá-la é acender e ascender. Portanto, quanto mais olharmos a nós, como nossas sombras, mais iluminaremos a nós mesmos. Uma amiga importante, também chamada de minha psicóloga - risos - me disse algo a refletir: "Pat enquanto a gente não se integrar a sombra, ou entrar nela e fingir que não está, ou não enxergar que está nela, jamais a iluminaremos..." e é verdade, enquanto alimentarmos o medo de encarar a dor, mesmo a sentindo, negando ela não deixa de doer, nem vai passar, porque não se foi em busca da cura. A gente precisa ir em busca de nossa luz e libertá-la de nós mesmos. Igual a chave-mestra que nós escondemos tanto e é capaz de libertar nossos pensamentos, e está conhecer e transformar. Tudo me leva a esse caminho: conhecer e transformar. Não basta conhecer, apenas, é preciso saber aplicar esse conhecimento por um grande propósito e aí entra a transformação, onde o propósito maior é o amor e o encontro com o divino, com nossa plenitude.

A gente não tem uma única coisa a achar, mas, vários achados em cada busca pela nossa boa essência, a libertadora.

Cada peça chave que se encontra, soma e monta o mapa para levar a Deus. Creio que, talvez, esse seja o maior tesouro que o Pai nos deixa: cada um de nós em plenitude somados, unidos, somos o caminho para Ele. Porque cada um de nós em plenitude somos infinitos e todo infinito se torna eterno e toda eternidade... Deus. O paraíso não pe um lugar apenas, é a união em harmonia e equilíbrio de todos os povos, todos os mundos que cada um de nós carregar/é.

Deus é um ponto de luz encontrado em cada um de nós. Essa luz é a nossa libertação de nossos apegos, do orgulho, do egoísmo, da dor, do sofrimento, da raiva, das angústias, da ambição... de tudo que é entrave e cultuamos como se fossem auto-proteção...

Cada coração libertado se torna uma mente infinita. Cada processo de libertação, de auto-cura: a cura. Cura do maior mal da humanidade: nós somos a nossa doença.

Equilíbrio e harmonia; paz; sensatez; serenidade; desapego = amor, liberdade, respeito = luz = salvação.

E isso me faz crer que podemos, a cada dia, a cada instante, a cada mínima vontade, buscar auto-conhecimento, transformação e aí, sim, vamos conseguir deixar em ações aquilo que só colocamos em frases e belas palavras:

DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESTE MUNDO!

Sim, cabe a cada um de nós. Eu também estou no processo. No caminho constante de libertar a mim mesma e deixar minha luz brilhar. Uma luz sozinha tem o valor do encontro individual, mas, várias luzes, valor de uma enrgia indissolúvel, eterna e perfeita: DEUS.

Gente, esse texto foi o que mais mexeu comigo. Leio em mim, em meus pensamento aqui transcritos mais uma parte, uma pista para montar meu mapa para a libertação de minha luz e, dure o tempo que durar, temos a vida toda para sermos melhores e isso faz toda diferença. Não me refiro a ser melhor sendo mais rico em dinheiro, guardando e poupando fortunas... nem é condenável ter, é condenável e penoso deixar de ser para ter e se aceitar fingindo ser... só se é sendo! Tudo que escrevo aqui são minhas pistas encontradas e meus desejos de querer ser o que escrevo. Aqui é apenas um registro do meu processo de auto-libertação. O que vivo é muito maior, muitas vezes mais doloroso do que escrevo, mas, quando olho de frente, vejo que doeu por opção: opção de insistir e me manter no que me fiz... no embate entre o que sou, como sou com o que me fiz, querendo ser diferente... hahahahaha, mas, a cada dia dói menos, porque temo menos a dor, temo menos as opiniões, temo menos o que chamamos de "sociedade". Cada dia, uma novidade, uma nova e renovada opção: me alimento de esperança e repito em alto e bom som que eu "quero ser feliz, sim! E de verdade.".

Como ouvi numa frase de novela: "A VIDA NUNCA ALCANÇA A ESPERANÇA, ACABA ANTES". Uma coisa eu garanto, quem não tem esperança em algo bom, positivo, pode se considerar morto, porque não tem un ideal que preste e se distancia do caminho de sua luz, de acender e ascender seu coração e sua mente. Cada novo encontro, um ponto a mais. Cada ponto ainda a menos, cai na esperança e se hoje não chegou, um dia chega. A hora de crescer, o progresso chega para todo mundo, um dia. E, cada dia que um encontrar e libertar sua luz, cada coração novo a brilhar, mais um ponto a se unir. Eu quero ser um novo ponto desse. Quero me unir ao que há de melhor, quero fazer parte, independente do tamanho de minha luz, ela se encaixa e cada peça, pequena ou grande, tem seu lugar e uma peça que falte, é uma peça faltando, é incompleto. Seja o tamanho que seja, é importante. Não é o tamanho que importa, é o encontro e a descoberta; a libertação e um buraco a menos.

Vamos nos unir, em plenitude, e, até na busca por ela, e completar o infinito... se é possível? Possível completar o infinito? Respondo: vamos completar o infinito, infinitamente, através de nossas infinitas possibilidades. Eu creio, tenho fé e me exercito diariamente para chegar lá. E, por isso, vou chegar! Simples, eu hei de vencer! Tudo isso porque aprendi com um amigo querido, que eu posso, mereço e consigo - se assim eu fizer!

Beijos no seu coração. Desejo que você, como eu, se jogue na busca; identifique e sare as feridas; se cure; se abra e brilhe. Brilhe muito. Brilhemos juntos. Cada dia um dia para mudar. Vamos nos surpreender com alegria a cada nascer do sol. Isso significa que você não morreu durante a noite, tem mais um tempo, mais oportunidade para fazer algo melhor. Eu quero ser melhor a cada instante. Lógico que não se trata de um interruptor que liga e desliga, mas, abre-se um processo para a mudança. Esse é o lance. Estou olhando cada mágoa, cada ressentimento meu e abrindo os processos. Olho cada complexo meu e abro outros processos. Abro processo até para olhar os complexos, porque é doloroso, também... mas, é bom demais optar por esse caminho. Faz um bem enorme saber que sou falha mesmo, e tenho muito a fazer. Vamos viver sem excessos; sem fanatismo; sem criar expectativas... muitas vezes a criação de uma expectativa nos disfarça uma realidade que fazemos questão de não ver e, quando não der mais para fugir e fingir cegueira... caimos na frustração e a culpa ainda é do outro... somos cruéis. Eu sou cruel, quando faço isso... sejamos mais, sem excessos! E sem desculpa do tipo: "o amor em excesso pode"... não existe, todo amor é na medida certa, a gente é que o envolve em outras alusões, embrulhamos para ficar mais bonitinho e escondemos a verdadeira beleza do amor atrás dos nossos preconceitos, pré-definições, pré-formatações... Deixemos o amor ser livre. Ele é tão poderoso, que mesmo que o mascaremos, que fantasiemos, quando caimos na real e sentimos a dor - com ou sem sofrimento - ele mesmo nos cura, mas, sem máscaras. Só olhando o amor como ele é ele pode emergir e ele aparece. Sempre de verdade e em verdade.


VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSO FILHOS E FILHOS MELHORES NESTE MUNDO - COMEÇANDO POR CADA UM DE NÓS!!!

Pat Lins.

DESCONHECER



Eu não busco apenas me conhecer, mas, me desconhecer.


Não por medo de não saber voltar, não. Mas, pelo prazer de se ir além, ao grande e misterioso sem medo algum, apenas o vivendo, o buscando, a cada instante, signifiacnte, sem significado... a cada momento, sem sensação de tempo roubado!


Quero me desconhecer para conhecer novos EUs e ir sempre, sendo eu mesma sem medo de mim, medo do infinito. Vivo essa busca em minha alma e entro em conflito com o que me fiz... mas, mexendo naquele canto que tanto temia, deixo doer e vazar; deixo sangrar e sarar; quero me sentir viva, nem que para isso, doa! Dói, porque ainda sou o que me fiz... mas, ao me ser desconhecida chegarei lá.


A magia de desconhecer é sempre conhecer-se como algo a mais, como sempre mais!


Quero viver pensamentos desbravadores e destemidos... Sem mitos, com mitos. Desbravemos as dores e vivamos o amor! Vivamos a vida. Eu estou cansada de peso! Quero me desconhecer... isso nunca pesa, só o suficiente para me deixar tocar os pés no chão e lembrar que há a lei da gravidade e nada mais!


É aquela história: desaprender para aprender! Reescrever-me! Re-ler-me! Refazer-me! Ser-me! Ah, é isso aí!


Eu quero é mais! Viver muito mais!


Nós podemos DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESSE MUNDO!!!

Pat Lins.




sábado, 19 de dezembro de 2009

"PARA SEMPRE E ALÉM" - por Will

"Existem alguns sentimentos que parecem ter nascido com a
gente, e não nos abandonam nem por um dia se quer. Ainda que
não conscientes, duram a vida toda e até mais.
Eles permanecem velados até que um dia qualquer, assim
despretensiosamente, eles vêm e preenchem de forma quase
insuportável a tudo, vazando... Por que o sabemos más não
sabemos. E se tem medo. Ainda me reconheço no espelho?
Sempre queremos nos conhecer. Saber quem se é parece
funcional.
Mas eu, bem lá no fundo, naquele lugar de nossa alma que nunca
ousamos ir, pois dali em diante não se sabe voltar e o que segue
parece gigante e misterioso, bem nesse canto velado da alma, eu
torço contra o que todos querem: eu torço para me desconhecer."
Will

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

APRENDER A AMAR



Já percebeu que todo mundo fala que ama, sem se dar ao mínimo trabalho de amar de verdade?


Mãe que "aprisiona" o filho em nome do amor... por não querer ver o filho sofrer... na verdade, poupa-se do sofrimento de "falhar"... falhar? Toda mãe falha! Lógico, somos humanos. Não posso privar meu filho de ser um indivíduo com a desculpa de que "o amo tanto que o protejo"... e depois? Depois, ele vai ter que viver a vida dele sem "anticorpos", sem força... o "organismo" será frágil e com baixa imunidade. Não, não falo de gripes, viroses e afins, falo de estar com base para a vida.


Amor em excesso também é sobra. Na verdade, falta. Falta de amor próprio e força para dar força, daí, sugam-se as forças dos filhos na pseudo-crença de "os" estar protegendo... Galinha é que coloca os pintos debaixo da asa... mas, eles crescem e não cabe mais. Eu me descobri uma mãe devoradora, mas, bem a tempo de me esforçar e me trabalhar pela luz e força do verdadeiro amor, aquele que incentiva, sem prisão; aquele que protege, sem podar; aquele que liberta se colocando ao lado, para o que der e vier; aquele que aposta, porque crer que seu filho, como você, como eu, tudo pode. Ou quase tudo. Dar limite é uma coisa, engolir é outra.


Não posso tapar os meus buracos com o corpo do meu filho... por mais que doa - dói porque cai nas malhas do autoritarismo... a maioria das mães são autoritárias e controladoras... a gente acaba se achando "dona" das crias...


Uma amiga me disse: "Pat, Pedro é. Ele é um indivíduo. Ele é uma pessoa. Vai acertar, vai errar..." e é verdade. Todos nós somos. Eu sou. Você é. Ser é único, é individual. E isso me faz ver que a maioria de nós não sabe amar. Ama pela metade. Ama em parte. Amar é libertar! Como se liberta prendendo?


Gente, nossos filhos são como sementes, a gente joga na terra, cultiva, mas, suas características são próprias. Elas crescem, sem a gente perceber... elas crescem, mesmo que nosso desejo é que sejam eternos bebês. Somos imaturos demais. E muita gente se ofende com esse meu comentário de auto-constatação. Por que dificultamos tanto, em nome das nossas dores? Para quê manter a dor em vez de libertar-se? Como disse William, um amigo de um amigo, em seu blog (TV de Cachorro - http://tvdecachorro.blogspot.com/):


"...Ainda me reconheço no espelho? Sempre queremos nos conhecer. Saber quem se é parece funcional. Mas eu, bem lá no fundo, naquele lugar de nossa alma que nunca ousamos ir, pois dali em diante não se sabe voltar e o que segue parece gigante e misterioso, bem nesse canto velado da alma, eu torço contra o que todos querem: eu torço para me desconhecer."


Eu, também quero me desconhecer. Aprender a amar passa por aí. Precisamos nos libertar do que nos fizemos. Precisamos ser. Ser quem somos. Que medo é esse que temos de ser feliz? Querer ser feliz parece uma ofensa. Ser sofredor dá status... dá mérito. Ser feliz é sinônimo de "frieza" ou "insensibilidade". Na cartilha que rezam por aí, só ensinam que não devemos ser egoístas... porém, o caminho é justamente o contrário. Não precisamos ser egoístas, mas, antes de tudo, sermos! Se eu não sou, como vou ser o que você quer? Não existo! Ops. Confunde. Somos, em nossa maioria, isso: seres confusos. Nos ensinam um amor egoísta, aprisionador e dizem que amar, sendo feliz, sendo livre é egoísmo.


Eu descobri, a duras penas - por opção natural de minha cabeça dura - risos - que a gente precisa ser essa tal "frieza", não por descaso, mas, por imposição de espaço. Precisamos nos desprender do externo - sem pisar, sem magoar... mesmo que magoe... impossível controlar o pensamento dos outros... Precisamos nos desconhecer para aprendermos do zero. Ou quase... no mínimo, aprendermos e mudarmos em cima do erro detectado. Olha ele aí de novo: O CONHECIMENTO. Precisamos tomar consciência. Como nos conscientizarmos se tememos... tememos a dor e vivemos com ela. Sabe o que penso? Que nossas mentes - e consequentemente nossas atitudes - estão travadas porque nossos corações assim o estão: travados. Nesse entrave, descobri que dentro do nosso coração existem várias chaves. Uma para cada situação. Mas, tem uma que é a chave mestra... essa está bem protegida. Ela cura tudo. Todos os males deixam de existir... mas, crescemos aprendendo a escondê-la. A gente cresce aprendendo a se fechar... tudo ao contrário, já viu?! Para ser adulto, precisamos negar a criança... engraçado, que os nossos maiores traumas, complexos, dores e afins vêm de lá... e negá-los, escondê-los, fingir que não os vemos é conviver com a dor... com a auto-solidão. Nos privamos de nós mesmos. Do melhor que podemos ser. Não me refiro ao melhor como fazedores de fortuna em dinheiro...me refiro ao melhor como pessoa, porque, no início e no fim é isso que conta: quem somos; como nos fizemos; como somos... e, como queríamos ser. Desejos, pré-formatações, medos, criações... quem somos de fato? Em essência? Dizem que fomos criados para sermos a imagem e semelhança do Criador (mas, veja, semelhança, viu?! E nós a Ele, não Ele a nós...) e levamos isso ao pé da letra, como corpo físico... eu entendo que "imagem e semelhança" queira dizer em evolução, em crescimento pessoal, mental, emocional e espiritual - independente de religião... quem procura respostas nas religiões, vai encontrar mais perguntas... as religiões são um caminho, para quem nelas se encontra e são tocadas... e se busca respostas, exatidões, vão encontrar em si, em seus corações, em nossas almas. Não podemos continuar jogando no outro a responsabilidade de nossa felicidade. Nenhuma religião é capaz de dar o exato caminho que devemos seguir... podem falar do que Jesus fez e se não colocarmos em prática, só vamos saber, sem nada fazer e continuaremos a perguntar e esperar "respostas"... ai, ai. Pois bem, a imagem e semelhança do Pai é no aspecto intangível, abstrato... é o amor livre e a felicidade plena e em paz, em harmonia. Imagem e semelhança é a de ter o infinito como meta, como "limite". É crer e fazer. É viver cada momento, cada eterno momento.


Sinceramente, não acho que solução seja carne artificial ou árvores artificiais... e que medo, hein, dos arrotos dos bois e vacas... eles é que destroem o planeta com a emissão de metano, que é mais danoso do que o gás carbônico (grande conclusão dos grandes cientistas... e grande argumento dos grandes políticos das potencias mundiais... Copenhague 2009... bah!)... ora, nós não somos culpados de poluir, destruir... Precisamos ou não nos desconhecer para aprendermos a amar, a cuidar, a zelar e a construir? Precisamos aprender e muito, para ensinarmos, com ações reais e seguras, aos nossos filhos. Por isso que sempre levanto a bandeira:


VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESSE MUNDO - INCLUINDO-NOS, VIU???!!!


Pois é, mães, pais e filhos... temos uma grande missão nessa vida: VIVER! Difícil, né?! Difícil compreender que dificultamos tanto, assumir e transformar! Difícil não é impossível, certo?!


Amar é dar as mãos, não apertar para segurar... se é difícil assumir, é difícil querer crescer.


Um objetivo em comum não é um único objetivo. Vamos nos educar primeiro e educar nossos filhos da melhor maneira: com verdade, com amor, com liberdade - liberdade não é inconsequencia, viu?!


Pat Lins.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

TEMPO SE VIVE

Tempo se vive, nem o apressa, nem se acomoda... vive-se.
Dizem que há um tempo exato para tudo... bom, que seja...
Melhor do que quebrá-lo com agonia...
Tempo quebrado, como todos os tempos que foram, não volta mais...
E o conserto? O perdão... e nada mais...
Tempo de perdoar é tempo de aprender a amar,
libertar e se libertar.
Mas, não refaz... se foi e nada mais.
Pat Lins.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

BATER DE PORTA EM PORTA


Bato de porta em porta, até que uma se abra. Já olhei, agora bato. Depois, aguardo. Olho a próxima e vou em frente. Agora, é questão de tempo para a oprtunidade surgir e então, a tal porta - ou portão - abrir logo após o "toc-toc" de minha mão. Nada de desespero. Eu aguardo e ando.

Open the door!!!





segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

CONHECIMENTO




"Adquirir conhecimento não é o fim, apenas um meio para o fim.
Conhecimento sem propósito é uma ferramenta destrutiva."
(anônimo)

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

PAUSA

Estou num momento de "pausa". Assim que der, volto a escrever. Lógico que ainda estou aqui.


Estou bem e feliz! EU QUERO SER FELIZ!


Feliz, por Pat Lins = sempre optar por ser e estar bem, mesmo dentro do tumulto - seja este de ordem real ou quase real...risos; acreditar, sempre que TUDO PASSA! Ainda que se trate de uma busca - pois trata-se de uma busca constante, intermitente e eterna - já é um caminho, né verdade?! Pois bem, vivo essa busca. Agora, só preciso me entregar a AÇÃO!!!


Preciso tomar fôlego para algumas atitudes e mudanças. Trazer para a prática é sempre difícil, mas, fazer-se enxergar e querer compreender, em rumo a tomada de consciência foi mais... Portanto: a virada é só um detalhe. Coisa de criar oportunidade. Acreditar. Seguir. Ir. Agir! É difícil, mas, fazer o quê?! risos.


Luzes. Câmeras. Ação!


Estou me lendo mais. Por isso que digo que escrevo aqui para me ler. Me leio e me vejo. Me vejo e me organizo. Me "re-significo". Me entrego ao prazer e a dor da mudança! TUDO ISSO PASSA! Que só fiquem as boas lembranças como algo a recordar. E que toda "lembrança ruim" se torne boa, através da sabedoria de compreender que tudo tem um motivo para ser. Portanto: tudo será boa lembrança!!! Afinal, sabedoria é compreensão e transformação, né isso?!


Beijos e até breve,


Pat Lins.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

ACREDITAR

"Ela acreditava em anjo e, porque acreditava, eles existiam."
(Clarice Lispector - "A Hora da Estrela".)

Naquilo que colocamos fé, mesmo que seja na fase inicial, passa a existir. A realidade está muito além do que apenas vemos... está em TUDO, tudo que vivemos!!!


Pat Lins.

sábado, 7 de novembro de 2009

"A DOR É INEVITÁVEL, MAS O SOFRIMENTO É OPCIONAL"

O maravilhoso Carlos Drummond de Andrade já dizia: "a dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional" e tinha toda razão. Aliás, esse pensamento tem toda a razão.

Venho refletindo a um tempo e fiz uma "viagem" bíblica, lendo e relembrando o que "aprendi" sobre esse livro sagrado, tão contemplado e tão pouco sentido... ler a Bíblia é viajar no tempo, mas, procurar conhecer, um pouco, os costumes da época, para não trocar "alhos por bugalhos" é necessário... Enfim, o que me chamou atenção é como somos rudes e amamos viver o sofrimento como um troféu a ser carregado: quanto mais sofrimento, mais "importante" a pessoa se sente... Será?!

Durante o devagar dos meus pensamentos, comecei a pensar:

Moisés era um homem comum, um escravo e Deus tocou o seu coração, falou com ele e ele se entregou a fé... ora, mas, fé não é algo que a gente sente ou não sente?! Sim, mas, podemos desenvolver a fé(?). Em alguns casos, são terras preparadas, mas, semeada de maneira "errada"; em outros casos, não existe terra preparada, mas, toda terra gera algo... tudo ao seu tempo e de acordo com suas realidades. Voltando para Moisés: ele, enfim, aceitou de coração entregue (após refletir muito, analisar e conversar bastante com o Pai) a missão de retirar o povo de Israel do Egito e, através do Espírito Santo, foi guiado - veja, a Bíblia deixa claro que ele não estava só, o Pai o guiava... ele escutava e seguia, porque acreditava. E foi. Levaram 40 anos a ermo, no deserto, com a promessa de entrar e reaver as terras dos seus antepassados. Bom, enfim, teve que administrar muitos conflitos, inclusive os próprios - afinal, ele era humano... - e nem sempre "ousava" chamar o Pai a toa, só quando o "bicho pegava". Para fugir do Egito, até o Mar Vermelho o Pai abriu para eles passarem. No deserto, Ele dava provas de sua existência, através de milagres... MILAGRES. Os milagres eram pedidos e realizados, onde água brotava de pedra; pão caia do céu... era Deus falando diretamente, sem símbolos ou sinais, Ele se dispôs a Se mostrar, através do que era pedido. Se você pedisse Ele realizava, só para não haver dúvidas. E o povo cria e seguia. Se cansavam, desanimavam e imploravam misericórdia e o Senhor cedia. Não vou colocar meus questionamentos aqui, pela Bíblia, a gente vê que trata-se de uma "fato", de que existiu... questionar não muda o passado... e, como sempre deixo claro, tenho meus questionamentos diretos com o Pai e Ele não se ofende... se se ofendesse, com certeza, era um humano e não Deus. Pois bem, como falo, eu questiono a maneira como Ele fala conosco, nos dias de hoje, em seus desígnios em forma de sinais, mas creio que Ele tenha lá um propósito maior, afinal, nos conhece há tempos, desde sempre - risos. A gente se entende bem - risos. Ao ler um pouco a Bíblia, o livro sagrado dos Cristãos - não falo que seja o único a falar de Deus, nem o único caminho para alcançá-Lo, Deus fala até com quem nem sabe ler... até com quem Nele não crê, afinal, Ele é o Criador e não a criatura! Pois, sim, diante de tantas reclamações humanas, Ele nos presenteava com MILAGRES, só através deles o povo se continha e era o estímulo para continuar (não penso que tenha sido fácil para eles). Depois, escutando o pedido do próprio povo, Ele resolveu só escutar aqueles "escolhidos", como o próprio Moisés (foi o próprio povo que pediu). Foi nos dando profetas, que, ao contrário do que falam, não eram videntes. Profecia virou sinônimo de "visão de futuro", mas, os profetas tinham missão muito maior, a de ir sempre e viver sempre de maneira plena na fé, alimentado pelo que há de melhor na vida: o necessário e levar a palavra dos céus para a Terra. A eles cabia passar a palavra de tempo em tempo... Passando o tempo, profetas nasciam e morriam e todos sabiam que o Salvador chegaria. E os profetas ajudavam a preparar o solo para sua chegada, estimulando a fé. Bom, o Cristo veio, nasceu de maneira humana, mesmo sendo ele um ser divino, o "único" filho do Pai. Ou seja, um ser puro e "santo", mesmo que tenha nascido em meio aos humanos, ele não era, ele estava humano... pois bem, Jesus viveu de maneira leve, mesmo em meio a toda tribulação, mas, dentro dele não havia peso e viver de maneira leve, ao meu ver, é isso, não ter peso dentro de cada um de nós. Paz interior é isso, ausência de conflito. Mas, ele sempre era testado por nós, seres humanos e "racionais"... continuamos seres de cerviz dura e nos curvarmos a algo maior, só "vendo para crer"... Nem Tomé, que mesmo cego, enxergou a presença do Cristo em sua ressureição, sem ver com os olhos da face.

E o Cristo cresceu e, com seus trinta anos, apareceu como o Nazareno, como quem de fato era "príncipe" dos céus. Mas, o povo, como hoje, "esperto" que só, só gosta de acreditar no mal... temer ser punido ou ser "perseguido" pelo "cão dos infernos" sempre foi muito mais forte do que acreditar nos milagres de outrora e no milagre do dia-a-dia. Oh, ranso miserável que se perpetua. Enfim, Jesus sabia de tudo que lhe aconteceria. Por "intuição" já sabia tudo e ficou sabendo na hora certa, ele não fora criado com uma espada na cabeça e uma cruz nas costas, dizendo: "aguente, é sua missão"... ele fora criado como homem e já era "santo". Mas, mesmo assim, sua pureza era divina e ele iluminava quem estivesse ao seu redor e aos redores... e se iluminava também.

Como Jesus não pregava o medo, nem miséria, nem se vangloriava como "fazedor de milagres", não ostentava, não ambicionava os bens materiais, respeitava toda e qualquer diferença... enfim, como Cristo era o exemplo de como nós deveríamos ter sido e nunca fomos, ele, então, "não prestava". Ora, uma pessoa, de carne e osso, que não sucumbia ao que não presta, não prestava. Ter sentimentos nobres, até hoje, é chocante. o "normal" é ser somente ambicioso, desconfiado e querer tirar vantagem de tudo; o "normal" é carregar a cruz e lamentar a vida toda pelo que passou; é prender a dor, mesmo que ela já tenha dado o recado dela...; o "normal" é ser "mau", é ser polêmico, é sempre dar a última palavra... o "normal" é ser pesado, rancoroso, preconceituoso e achar, tudo isso, normal, afinal "todo mundo é assim"... né verdade?! Mas, sim, mesmo sabendo que seria traído - isso sim é traição, não é "pular a cerca", só não... traição, para mim, é ter a intensão de se dar bem, mesmo que custe o mal de alguém... - ele nunca deixou de amar - ele era divino, né?! Eu ainda aprendo a perdoar... melhor, um dia nem culpo... risos - e cuidar de todos, mesmo sabendo quem o iria entregar, lhe beijou a face - creio eu que na esperança da pessoa se tocar, né, e ver que o cara era "o" cara! Mas, deixa lá, Judas tinha essa "missão", né?! Como já disse, o Pai tem lá seus desígnios, um dia a gente terá capacidade de compreender de verdade.

Não é que mesmo assim, todo mundo tendo provas de que Cristo não queria porcaria de "posto" ou "título", mesmo "descendendo" da casa de Davi, ele deixava claro que queria viver com o povo. Mas, os "poderosos" - poder, poder, poder... deveríamos desejar ter o poder de viver melhor nossas vidinhas, isso sim seria poderoso! - se temiam e, julgando com seus próprios conteúdos - óbvio, né... aliás, esse povo "normal" é muito óbvio... risos - refletiram em Jesus seus próprios temores e, naquilo que eles mesmos não buscavam esclarecer, o vácuo imperava e o vazio do que não foi esclarecido deu espaço para as artimanhas da mente humana, que, para isso, presta... aliás, nossa mente é capaz de muito mais, nós é que insistimos em sermos tacanhos... e, por fim, condenaram O Cristo por um crime que ele nunca cometeu, mas, pelo pior crime para a humanidade: amar e tentar salvar toda a Terra. Que crime, hein?! Veja como nós julgamos... veja nosso critério de avaliação constante: quem quer nos mostrar O caminho não presta, o que presta é sofrer, é temer, é a hipocrisia, a demagogia, a mentira... o poder do vil metal!

E foi feito o tal "julgamento", onde deram a Cristo a oportunidade de "assumir" seus "crimes" - kkkkkkk, não, essa, só rindo, da petulância daquele covarde do Pilatos... mas, era humano... somos, né?! Afinal, quem de nós não crucifica ou condena alguém? - até deu ao povo, também, a oportunidade de escolher se queriam libertar o Cristo ou o pobre coitado e infeliz, o "bandido" do Barrabás... e o povo - leia-se, nós, porque se fosse hoje, seria diferente? Ele iria para um tribunal e mofaria numa prisão que não regenera nada, nem ninguém... no mínimo - pequeno e cruel, medrosos que só, libertaram um "bandido". No calvário, Jesus, além de carregar a própria cruz, recebia insultos, imagino que até de quem ele deva ter ajudado..., ofensas mil, fora as chibatadas. Muita crueldade. Depois, reclamamos porque o mundo está/é como é... nunca movemos uma pequena palha para nos mudarmos e melhorarmos, vamos ajudar ao outro?! Como?! na base de sempre, da hipocrisia... Pois, o nosso irmão maior foi crucificado. Pregaram suas mãos e pés com prego. Imagine a dor física insuportável, de ter osso perfurado, músculo, cartilagens, veias e vasos... tudo, fora a dor moral... mas, ele não condenava nenhum de nós. Ele acreditava que chegaria o tempo em que nós, cresceríamos... Ele veio para nos ensinar a viver, mas, a gente só quer aprender com dor... com medo... e, ele então, se dispôs a falar na linguagem que entendíamos... se falando de amor, com amor, era inaudível para "nós" - me refiro a raça humana - então, ele provaria da maneira como "nós" conseguimos assimilar, pela dor, pela miséria. E deu sua vida. Seu sangue derramava para nos mostrar o que água, não era suficiente, para matar a sede; sua carne era molhada com o sangue que saía de dentro dela para alimentar o que o pão não alimentava: nossa loucura! E nós ali, boquiabertos com aquele terror. Creio que alguns devam ter se arrependido e se corroiam de remorso, mas ele, o Cristo, estava lá e ainda pedia por nós! Um de nós hoje, diria, "otário! mentia, assumia um crime qualquer e caia fora... essa de perdoar, amar, se doar..." E assim vamos fazendo dia-a-dia, perpetuando dor e sofrimento, como alimento de alma. Jesus sentiu muita dor, mas não sofreu. Ele não sobrecarregou seu coração com raiva, com peso, com amargura... isso caracteriza o sofrer.

O orgulho impera e cega. Até aceitar o que Jesus fez incomoda a muitos de nós. Mas, ele ressucitou, não mais como homem de carne e osso, mas, como plenitude, como ser divino. Ele nos deu um pedaço de seu corpo físico para entrar em contato conosco e nos lembrar que ele é o caminho para o Pai. Não, não é subir nas costas dele, é procurá-lo dentro do que nos ensinou e encontrá-lo ali/aí e assim, ele nos carregará, sim, como em "Pegadas na areia". A gente nunca se dá conta de que o bem está em todo lugar, até dentro de nós. Que mudar parte dentro de cada um e aceitar ajuda faz parte. Ciência? É provar todos os dias que ninguém desvenda o mistério da mente, muito menos de algum "milagre" e, mesmo assim, só cremos no que a ciência prova. Eu acredito no que a ciência prova, mas, a ciência tem um papel, não O papel, sacou?!

Sentir, superar, está além de prova científica. o "Poder" que tanto buscamos começa aqui, dentro da gente. Em nossa mente, em nosso coração e em nossas ações!

Lembre-se sempre que nós escolhemos o caminho da dor, mas, ela é só um sinal de alerta. Não precisamos esperar que ela soe para vivermos de maneira plena. Se ela chegar, deixe-a doer e deixa-a passar. Deixe-se sarar das amarguras. Deseje, em seu íntimo, com toda força, viver de maneira feliz, sem sofrimento, mesmo, dentro da dor. Alimente-se de esperança. Ela alimenta a fé. Plante fé. Semeie vida!

Não joguemos mais nossas frustrações, medos e amarguras na carne de quem nos ama. Conheço e amo gente que muito gente odeia. Conheço gente que ama gente que parece os odiar... Amo pessoas tão difíceis, que, evito o contato... amor pleno é coisa que ainda quero alcançar. Não culpar e perdoar não quer dizer que você muda o outro, quer dizer que eu tirei o peso de dentro de mim, mas, o outro continua sendo quem é e viver perdoando e sofrendo é auto-punição - risos. o amor precisa ser regado, também. Mas, mesmo que não regue todos os dias, ele se mantém. Eu não escrevi esse post para chocar ninguém, falei para tocar corações... primeiramente, o meu próprio!

Todo amor é para sempre, nem que seja para sempre uma boa lembrança!
"A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional" (Drummond)

VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES PARA ESSE MUNDO!!!

Pat Lins.

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

PIADA: AS VÁRIAS FORMAS DE DAR UMA NOTÍCIA...


Se história da Chapeuzinho Vermelho fosse verdade, como ela seria contada na imprensa do Brasil?

Veja as diferentes maneiras de contar a mesma história.


Jornal Nacional
(William Bonner): 'Boa noite. Uma menina chegou a ser devorada por um lobo na noite de ontem...'
(Fátima Bernardes): '...mas a atuação de um lenhador evitou a tragédia.'


Programa da Hebe
'...que gracinha, gente! Vocês não vão acreditar, mas essa menina linda aqui foi retirada viva da barriga de um lobo, não é mesmo?'


Cidade Alerta
(Datena): '...onde é que a gente vai parar, cadê as autoridades? Cadê as autoridades? A menina ia pra casa da vovozinha a pé! Não tem transporte público! Não tem transporte público! E foi devorada viva... um lobo, um lobo safado. Põe na tela, primo! Porque eu falo mesmo, não tenho medo de lobo, não tenho medo de lobo, não!


Superpop
(Luciana Gimenez): 'Geeente! Eu tô aqui com a ex-mulher do lenhador e ela diz que ele é alcoólatra, agressivo e que não paga pensão aos filhos há mais de um ano. Abafa o caso!'


Globo Repórter
(Chamada do programa): 'Tara? Fetiche? Violência? O que leva alguém a comer, na mesma noite, uma idosa e uma adolescente? O Globo Repórter conversou com psicólogos, antropólogos e com amigos e parentes do Lobo, em busca da resposta. E uma revelação: casos semelhantes acontecem dentro dos próprios lares das vítimas, que silenciam por medo. Hoje, no Globo Repórter.'


Discovery Channel
Vamos determinar se é possível uma pessoa ser engolida viva e sobreviver.


Revista Veja
Lula sabia das intenções do Lobo.

Revista Cláudia
Como chegar à casa da vovozinha sem se deixar enganar pelos lobos no caminho.


Revista Nova
Dez maneiras de levar um lobo à loucura na cama!


Revista Isto É
Gravações revelam que lobo foi assessor de político influente.

Revista Playboy
(Ensaio fotográfico do mês seguinte): ' Veja o que só o lobo viu'.


Revista Vip
As 100 mais sexies - desvendamos a adolescente mais gostosa do Brasil!


Revista G Magazine
(Ensaio com o lenhador) 'O lenhador mostra o machado'.


Revista Caras
(Ensaio fotográfico com a Chapeuzinho na semana seguinte): Na banheira de hidromassagem, Chapeuzinho fala a CARAS: 'Até ser devorada, eu não dava valor pra muitas coisas na vida. Hoje, sou outra pessoa.'
Revista Superinteressante
Lobo Mau: mito ou verdade?


Revista Tititi
Lenhador e Chapeuzinho flagrados em clima romântico em jantar no Rio.

Folha de São Paulo
Legenda da foto: 'Chapeuzinho, à direita, aperta a mão de seu salvador'. Na matéria, box com um zoólogo explicando os hábitos alimentares dos lobos e um imenso infográfico mostrando como Chapeuzinho foi devorada e depois salva pelo lenhador.

O Estado de São Paulo
Lobo que devorou menina seria filiado ao PT.


O Globo
Petrobrás apóia ONG do lenhador ligado ao PT, que matou um lobo para salvar menor de idade carente.


O Dia
Lenhador desempregado tem dia de herói


Extra
Promoção do mês: junte 20 selos mais 19,90 e troque por uma capa vermelha igual a da Chapeuzinho!


Meia hora
Lenhador passou o rodo e mandou lobo pedófilo pro saco!


O Povo
Sangue e tragédia na casa da vovó.


Correio da Bahia e TV Bahia
Menina usando um chapeuzinho vermelho é atacada por um lobo e não consegue atendimento em nenhum hospital do Estado. Governador Wagner não se manifesta.

Muito boa!

TRANSFORMEM-ME EM PALAVRAS

Quero exceder-me em palavras,
desde que sejam vivas!
Entregar-me a meus pensamentos,
viver as melhores emoções.
Escrever cada caminho que percorro,
registar as lembranças de que
sempre estive comigo,
onde quer que eu fosse.
Quero entregar-me em meus braços
e dizer: ME AMO!
Escrever minha vida é
escrever meu caminho.
Seguí-lo é ler-me e
ler-me é conhecer-me
sempre e cada vez mais!
Transformem-me em palavras e leiam:
SINÔNIMO DE VIDA É VIVER!
E vida é O caminho que temos
para trilhar!
E, com as palavras que me escrevo,
me vivo, me perocrro, me conheço!
Transformem-me em palavras e leiam:
EU QUERO MAIS, SEMPRE!!!
Pat Lins.

VÁCUO


Aquilo que não deixamos claro, aquilo que não falamos, aquilo que não é dito abre espaço para "interpretações" e interpretação é algo muito subjetivo...

Minha querida amiga, Vanda, me deu um toque muito legal: CUIDADO COM O VÁCUO. Temos muitos espaços abertos em nossa mente e a-do-ra-mos preenchê-los - com a mania de não deixarmos espaços vazios...risos - com qualquer coisa. Somos tão pouco seletivos... quero dizer, muitos de nós... risos.

Preencher esses "vácuos" com o que não foi dito é um perigo! Precisamos tomar cuidado com o que queremos que nos preencha... Precisamos ter cautela com o que vemos, com o que escutamos, com o que "percebemos", com o que "intuimos"... precisamos avaliar mais e julgar menos... e condenar não é necessário, apenas, foquemos em resolver seja lá o que for.

Pat Lins.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

INTUIÇÃO, ILUSÃO, INFLUÊNCIA - onde está a realidade?

Viver a realidade é muito mais do que aceitá-la, ou negá-la... é VIVÊ-LA!

Viver a realidade é enxergar como ela é, aceitar e, se não gostar, querer transformar!

Fingir que a realidade não existe; "não falar" ou "não tocar no assunto" é fugir dela e fugir da realidade não a transforma.

Para mudar uma realidade e até para viver bem a realidade, é necessário assumí-la!!!

Quem não assume a realidade e aposta em apenas um ângulo, paga o eterno preço de perder uma grande oportunidade de ser feliz em sua plenitude.

Ser feliz em plenitude é ver, viver e fazer sempre algo bom acontecer, tirando todo peso e sofrimento; perdoando; amando e ter a certeza de que TUDO PASSA, por isso, aqui e agora, é hora de optar por superar.

A gente não precisa ver apenas com os olhos para enxergar. Precisamos estar em busca de harmonia para "enxergar" através da "voz" de nossa "intuição".

Ah, a propósito, volto a frisar: eu creio na nossa intuição, aquela voz que sai de nosso coração, que traz sabedoria e toda orientação que precisamos, mas, precisamos tomar cuidado para não estarmos envolvidos demais com as emoções, sem auto-percepção, auto-conhecimento, e confundirmos INTUIÇÃO com DESEJO, com EMOÇÃO, ou, até mesmo, com RAZÃO - o racional cria pensamentos e emoções que a gente não tem idéia... precisamos estar em harmonia conosco, em paz - de verdade, não aquela paz que a gente aparenta, apenas por não expressar como estamos por dentro, nem a nós mesmos... paz é ausência de conflito... inclusive aquele que a gente ou não sabe ou não quer admitir que existe, então, nos acomodamos a acreditar que estamos em paz, só porque "parecemos" estar em paz... querer acreditar e transformar, por aí, ao meu ver, não anda... Toda transformação em nossa vida requer esforço e como nós "amamos" aprender pela dor, "aceitar" certas "intuições" - principalmente as mães, nossa, mãe "ama" ter "intuição forjada... ah, lógico que a intuição de uma mãe é ultra-mega poderosa, mas, muitas interpretam de um jeito muito passional, muito "influenciada" (eis a palavra que buscava para dar um "alerta") pelas próprias emoções e aí, a intuição cai no vácuo... - mas, voltando, aceitar a intuição real pode doer, então, "ajustamos" para nossos "desejos" e isso amputa a intuição; na verdade, destrói... e perde sentido... a intuição é realidade e como tal, precisa ser aceita primeiro e não inventada...

Nem toda intuição mostra o caminho mais agradável, mas, quando a escutamos como ela é, nos leva a um caminho aberto. O que fecha é nossa mente. Essa fecha nosso acesso ao que há de melhor, apenas, porque estamos acostumados a sermos assim: em parte e não por inteiro. Não somos plenos. O que dói é reprogramar nossos planos e nosso caminho... dói é o desapego ao que não presta. Geralmente, optamos nos prendermos a nos libertarmos... por isso a liberdade dói... mergulhar em si acaba sendo doloroso porque olhamos como "mexer na ferida" e não como "localizarmos onde está aberto para tratarmos, sem deixar de tratar as consequências, até encontrarmos o lugar certo". Muitas vezes a gente não descobre a origem da dor, do apego, das ilusões, mas, o caminho pela busca é gratificante. Pena que nem todos nós queremos isso... por enquanto. Aí, quando caimos, a culpa é da vida... é verdade, como somos... (imagino várias pessoas que conheço, lendo esse post e dizendo: "é, legal o que Pat escreveu, mas, que bom que eu não sou assim..." e eu pergunto: ASSIM COMO? risos).

Precisamos ter cuidado, zelo, com o que nos influencia. QUAIS OS PENSAMENTOS QUE AFLORAM EM MIM? COMO ESTÁ MINHA BUSCA POR MIM? ME CONHEÇO? COMO LIDO COM AS PESSOAS AO MEU REDOR? TOMO TUDO PARA MIM? ESTOU ABERTO PARA RECEBER E TRANSFORMAR MINHA VIDA? DOOU O MEU MELHOR PARA MIM E PARA OS MEUS?

Precisamos avaliar nossos pensamentos. Precisamos avaliar e conhecer o que há dentro de cada um de nós, para sempre nos deixarmos guiar pelo que há de melhor em matéria de pensamento, emoção e ação. Daí, com certeza, conseguiremos escutar e enxergar a verdadeira INTUIÇÃO, aquela voz que vem de tão dentro de nosso coração que "parece" que vem de fora...

No geral, nossa realidade é aquilo que escolhemos viver + aquilo que somos + como agimos + o que pensamos + o que sentimos... + tanta coisa que a gente nem faz idéia. Eu quero um resultado com saldo positivo.

Pois é, precisamos deixar fluir, mas, é bom enxergar que está fluindo, né?! O cuidado com o fanatismo e com a ilusão, em vez de intuição é de suma importância.

Para transformar, precisamos saber o que precisa ou queremos mudar... sem conhecer, vai mudar o quê?

A cada pequena mudança em mim, com certeza contribuo com o movimento de DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESSE MUNDO.

Pat Lins.

NÓS PODEMOS SER O QUE QUISERMOS...

Não negar a realidade é um bom começo... um bom começo para querer mudar.

- "Eu não tenho raiva dele (a)..." - isso, da boca para fora.

Lá dentro, na realidade dentro de si: "eu tenho muuita raiva dele (a). Ai que ódio!" ou, se pode nem ter "consciência" do sentimento, mas, explode no peito, do mesmo jeito...

Caminho que faço para re-significar e mudar a realidade: "Eu estou com muita raiva, mas, não quero sentir isso! Ele (a) é tão humano (a) quanto eu..." - esse é o caminho da compreensão. Depois, avalio o que aconteceu, onde eu errei, também e bola para frente, dando entrada ao processo do perdão - a mim e ao outro. Estou numa fase em minha vida, que ainda identifico a raiva, as agonias, o stress, dentro da explosão, quero nem chegar a esse ponto. Por isso, aprendi que não adianta negar a realidade, ela EXISTE por si só, ela É! Bom, ao menos eu já percebo que estou dentro do tumulto, né?! Tem muita gente que ainda causa e vive o tumulto sem se dar conta e ainda joga no outro e lá se mantém...

Isso é tão comum. Você já se viu nesse papel? Não negar já é um bom começo... risos.

Precisamos nos abrir mais. Nos avaliar ao final de cada dia e se ajustar: "fiz isso, poxa, não quero mais agir assim" e, aí, liga o alerta para a auto-vigilância.
Vamos nos cuidar! Vamos nos entregar mais à leveza. Tristeza tem fim, sim. Felicidade, também. Mas, o que tem fim são as emoções que tocam ou incomodam. O que fica, ou, deve ficar, apenas lembrança. Cicatriz e nada mais!

Bom, não confundir "não negar a realidade" com "desmotivação", viu?! A gente pode se ver e querer ser diferente - isso é o que tento falar, aqui, porque eu estou nesse caminho. Me "preocupa" a mania da maioria das pessoas não saberem usar as palavras ou temê-las... as palavras só tentam descrever, a realidade é muito maior. A gente pode ser o que pensa, aliás, devemos ser o que pensamos... então, pensemos o melhor de nós, para nós, por nós, respeitando o espaço do outro e, assim, consequentemente seremos o melhor para todos!!! Vamos refletir mais!!!

E, refletindo mais, podemos

DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESSE MUNDO!!!

Pat Lins.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

DEFINITIVO - Carlos Drummond de Andrade

"Definitivo, como tudo o que é simples.

Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.

Sofremos por quê?

Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos, por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos. Por todos os beijos cancelados, pela eternidade.

Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco, mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema, para conversar com um amigo, para nadar, para namorar.

Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco, mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.

Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.

Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam, todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.

Por que sofremos tanto por amor?

O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.

Como aliviar a dor do que não foi vivido?

A resposta é simples como um verso: Se iludindo menos e vivendo mais!!!

A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável. O sofrimento é opcional..."

Vamos dar menos peso ao sofrimento, deixar a dor passar e seguir, daqui para frente, vivendo o aqui e agora.

Com isso, continuo o movimento:

VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES NESSE MUNDO!


Cada pequena atitude, cada pequeno gesto, no final, soma tudo que vai ver o quanto pudemos transformar, a começar por nós mesmos!!!

Beijos e paaaaaaazzzzz,

Pat Lins.

ÂNGULOS E VERDADES - II

É bom olharmos tudo direito, antes de tiramos conclusões precipitadas... assim como com o que vemos, fazemos com o que ouvimos, etc.

Nem tudo que parece, de fato é... lembre-se, parecer, não é ser!!!

Sejamos sempre melhores e vamos nos divertir com nossos "erros" e nos alegrar com os acertos!
PS - o que você pensa estar vendo, trata-se da dobra do braço da moça com a máquina... risos.

Pat Lins.

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

OBSTÁCULOS - sinal de luz ou de perigo?


Dando continuidade às minhas "dúvidas" expostas, em parte, em "NÃO SEI SE VOU OU SE FICO" (outubro/2009 - basta ir aqui ao lado, em TODOS OS TEXTOS AQUI, clicar em 2009, depois em OUTUBRO e procurar o título), COMO podemos fazer para saber se, diante de um obstáculo devemos ultrapassar ou voltar?

Uma barreira pode ser um sinal de alerta, do tipo, "páre, aqui é perigoso, estou aqui para te ajudar. Caminho errado. Volte para encontra o seu caminho." - sim, será que existe "um" ou "o" caminho...? - Bem como pode ser: "Para alcançar seu objetivo precisa mostrar garra, coragem e determinação, então, só o alcançará se me ultrapassar. Eis a condição."

Eis a minha pergunta: COMO SABER INTERPRETAR OS SINAIS DOS CÉUS? COMO SABER O QUE DEUS ESTÁ FALANDO E QUERENDO DIZER? COMO AGIR E TOMAR UMA DECISÃO DIANTE DO OBSTÁCULO, QUANDO JÁ ESTIVERMOS NO DILEMA: "NÃO SEI SE VOU OU SE FICO"...? Tantas perguntas... esse é um dos meus obstáculos: encontrar a resposta certa, mesmo sem saber a pergunta... risos.

Deus entende tudo o que falamos, seja o dialeto que for... mas, nós... nós, mesmo de coração abertos ainda temos muita dificuldade para interpretar, sentir, viver... sempre tem uma poerinha em nossos corações, por melhor que cuidemos dele/ de nós.

Agora pensemos juntos: se alguém fala que o melhor é seguir intuição, como saber se é boa ou má intuição? Como saber se é intuição livre ou "imposta" pela emoção ou pela razão...? Existe essa maneira certa de saber? É certo só seguir intuição? Será que as nossas tomadas de decisões, escolhas, são "intuições" ou pensamentos próprios? ...

Existem várias maneiras de "fazer" ou "seguir" o que seu coração manda. De escutar a "nossa alma". O que nos leva a vários caminhos para entrarmos em sintonia com ele. Mas, todos os caminhos levam ao mesmo rumo: NÓS!

Nos escutar é procurar sempre se manter em harmonia e sob a luz da verdade e coerência (viver, agir, pensar, falar e sentir). Nunca teremos uma fórmula perfeita e totalmente segura... somos humanos e falha é uma característica nossa, 100% TERRA - risos. Ter sempre em mente que para cada "erro" existe uma oportunidade de corrgí-lo e seguir, sempre. Levaremos a vida toda e, talvez, a gente nunca consiga acertar sempre, nem logo de cara. Mas, cada vez que enxergarmos que erramos,vamos em busca do acerto. Resolver tudo aqui e agora, cada vez que o "agora" se fizer e sempre que for necessário. Consertar um erro, uma injustiça, uma falta de demonstração de amor ao outro é sempre urgente e prioridade!!!

Correr riscos, muitass vezes é importante ou, necessário, mas, muitas vezes, existem caminhos pela paz, que trilham pela sabedoria da simplicidade e águas mansas. Raramente nos deixamos conduzir por aí... Será que sempre o caminho "certo" é o caminho mais desafiador? Será que o caminho "errado" é o mais livre? Será que não podemos nos libertar do "peso" extra de tal maneira que tudo fica mais leve e ver tudo como "uma grande possibilidade" é um caminho aberto? - PS - eu estou aprendendo com esse pensamento, que Noemia / Morgana Gazel, minha grande amiga, aplica na vida dela: TUDO É UMA GRANDE POSSIBILIDADE! TUDO É POSSÍVEL.

A melhor maneira de viver, para mim, é manter a esperança. Levar em consideração que nossa decisões são tomadas baseadas no "aqui e agora". Não temos como calcular o menor risco baseado no amanhã...

Mas, nesse post, eu preciso saber de você:

  • COMO VOCÊ INTERPRETA OS SINAIS DA SUA VIDA?

  • VOCÊ SEGUE O QUE ACREDITA OU O QUE SEU CORAÇÃO MANDA, MESMO CONTRARIANDO A "RAZÃO"? (ah, quando me refiro a "RAZÃO" é aquela "lógica" que só a gente acredita... aquilo que está tão enraizado que parece-nos ser uma verdade universal, mas, não passa de um pensamento criado por nós e que nem sempre é bom...)

  • VOCÊ TEM A VERDADEIRA CORAGEM DE ADMITIR UM ERRO, POR MENOR QUE SEJA E SE ENTREGAR A SOLUÇÃO, CORRIGIR E MERGULHAR NO BEM QUE FAZ MUDAR O CAMINHO, QUANDO SE CONSTATA QUE PEGOU A TRILHA ERRADA, QUE SOFRE E FAZ SOFRER?
Não é debate, nem a fórmula certa, mas, apenas, uma troca de idéias. Fique à vontade. Logo aqui abaixo está escrito "comentário", você clica na palavra e uma caixa abre. Eis o lugar para nossa troca de idéias. Pode "falar" o que quiser, mesmo que saia do tema. O tema é a vida e isso quer dizer, que sempre estamos livres!!!

Agora, vamos lá, deixe sua opinião / comentário logo aqui abaixo.

O fim da linha pode ser o começo de outro, mas, não deixa de ser o fim daquela linha... É exatamente o fim de uma linha e começo de outra. Tenhamos foco para sermos livres.

Pat Lins.


VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES PARA ESSE MUNDO!!!

segunda-feira, 26 de outubro de 2009

IMATURIDADE - independe da idade - risos


Isso é lá, bem verdade! Idade não é nada... rsrsrsrs
Beijos,
Pat Lins.

O VERDADEIRO VALOR DO SORRISO DE UMA CRIANÇA


Mais lindo do que ver o sorriso de uma criança, é saber o motivo dele: PURA E SIMPLES - FELICIDADE!!!


As crianças têm a grande capacidade de nos lembrar - o que, também, sabíamos quando éramos crianças... - que o que importa é o "daqui para frente". E sempre, sempre, ver o lado bom de tudo: a oportunidade de recomeçar!


Por que esquecemos do sorriso, da vivacidade, da esperança que temos na infância?


Por que essa "infeliz" mania de só valorizar e alimentar o que "não presta"? Será que a condição para ser "adulto" é "involuir"? ...


Voltemos a dar valor às coisas boas da vida: VIVER!!!


E, lembrar: VAMOS DEIXAR UM MUNDO MELHOR PARA OS NOSSOS FILHOS E FILHOS MELHORES PARA ESSE MUNDO!!! Ainda dá tempo!


Pat Lins


LinkWithin

Related Posts with Thumbnails